Friday, September 05, 2008

O nó.


Existe um nó.
Bem aqui, entre a garganta e o peito.
E mesmo que a gente sinta na pele, sabe que vem de dentro.

Eu tenho um nó, bem aqui, no pensamento. É como se eu tivesse aqui, na cabeça, milhares de rascunhos de idéias, todas esbravejando e lutando por prioridade de desenvolvimento. Eu penso em tudo e, portanto, não penso em nada.
Dá vontade de dizer, fazer, gritar, qualquer coisa que o faça desenlaçar, esse nó que eu tenho.
Ando por ai me sacudindo, que é pra ver se cai. As vezes tento engolir, afogar, mas ele entranha mais em mim.

Tem de sair, esse nó que eu tenho e que me enlaça, me amarra, me provoca. É um peso agudo, uma dor controlada, uma forma sólida e uma coisa abstrata, é uma contradição.
É isso, eu tenho aqui uma contradição, no fundo do peito, na pele, na mente.
Meus opostos devem ter ido de encontro um ao outro e resolveram se emaranhar bem aqui, na garganta.

Esse nó que existe, bem aqui, por dentro e por fora, na estrutura óssea, é o frio das palavras não ditas, dos momentos esquecidos, do embaraço, a saudade não sei de quem, a vontade não sei de que.
E por causa desse nó eu me aventuro, me confundo, meto os pés pelas mãos, falo besteira, penso constante.

Esqueço-me dele por um tempo e sinto uma liberdade vigiada, como se lá estivesse ele, o nó, à espreita, aguardando o momento que eu baixe a guarda.
Mas se o consigo enganar, rapidamente me encho de vazio, e o vazio é maior e mais aterrorizante que o nó.

Eis então a grande questão, se o perco, não sinto. Se não sinto, não sei, não vivo.
Eu vivo assim, com um nó, bem aqui, que me preenche. E toda madrugada ele me acorda com uma pontada.

Mas eu já não me zango, é apenas a sua forma de me lembrar: “ei, você está viva”.

2 comments:

damatta said...

Sinto o meu nó, como se esperasse sempre algo. Como se a vida não bastasse por si só. Pode ser influência do mundo atual, que nos exige demais o tempo todo, ou mera loucura e neura do meu ser.Mas o sinto e compartilho com vc, prima.

Diego Sierra said...

incrível!