Wednesday, March 07, 2007

Reduzindo ao Máximo

Cada vida particular compreende milhares de fragmentos que, juntos formam um todo. Ao olhar de longe, a figura se apresenta opaca, sem particularidades, porém completa. Consiste à verdadeira busca do ser humano conhecer cada pedaço que lhe compõe. Filósofos utilizam livros, palavras, pensamentos para compreender a complexidade humana, músicos se guiam pelo som e transbordam-se em suas almas, pintores vivem em um mundo de imagens e retratos onde seu mundo particular combina-se com outros. É fechar os olhos e ver-se formar em sua magnitude. O verdadeiro auto-conhecimento seria... Deus?
As religiões são caminhos para se chegar a si mesmo. As pessoas se relacionam para atingir, também, a essência do próximo e caso não estejam preparadas para tamanho passo, forma-se um vazio. Vazio o qual mobilizará toda uma vida em busca de preenchimento. A procura de um encaixe perfeito, de um desenho mais bonito nos faz desprezar, muitas vezes, peças que muito nos custaram adequação. Um vazio cujo pedaço não está ao alcance.
O curioso é que, talvez, a ‘grande força’, ‘Deus’ ou quaisquer definições que se possam existir, seja exatamente a junção das peças de um grandioso quebra cabeças. E tais peças crescem em sua complexidade no máximo que possam se fragmentar. O menor é grandioso.
A vida é feita de menos que momentos, ela é feita de sensações. Uma vez alcançado o seu ‘eu interior’, busca-se a completude pelo combinar de suas próprias pecas com as de outrem e, a partir daí dois viram um e três viram um e o mundo vira, ele mesmo.

1 comment:

Gabriel said...

Tou postando aqui só pra dizer "li". Estou formulando alguma coisa mais legal para escrever, uma opnião bem construída, mas isso ainda vai vir ;) um beijo Patrícia e boa sorte com o blog ^^